Dois pra lá, dois pra cá

Na noite do jogo 200 de Marquinhos, cerca de 2,2 mil pessoas encararam a chuva para ver Avaí e Criciúma empatarem por 2 a 2, com os nossos gols marcados pelos dois atacantes e os gols deles em duas entregadas da nossa defesa. Na sequência de dois jogos em casa, contra dois dos grandes do estado, o Leão deixou escapar dois pontos, o que acho normal. Agora temos duas partidas contra pequenos – Juventus e Guarani – para tentar recuperar esses pontinhos.

Não há muito o que avaliar da parte técnica do jogo. O gramado encharcado e pesado fez os dois times apostarem em ligação direta e jogadas aéreas. Jogadores que têm como característica carregar a bola foram os mais prejudicados. No segundo tempo, por exemplo, os dois treinadores apostaram em jogadores altos nos seus ataques. A linha ofensiva do Avaí foi formada por Reis (1,88m), Danilo (1,87m) e Roberson (1,81m). Do lado do Criciúma, Marcel (1,87m) e Giancarlo (1,91m) incomodavam a atrapalhada zaga avaiana.

Fica de positivo a vontade mostrada pela equipe e a inteligência de Ricardinho em apostar nesse ataque de “torres trigêmeas” na segunda etapa. O gol(aço) saiu de bola no chão, mas o Leão dominou os 45 minutos finais. Destaco Reis, que, num jogo propício para um jogador com sua característica (força), mostrou qualidade. Roberson um pouco abaixo, mas fez um golaço. Acho que, enfim, temos dois atacantes. Paulinho foi bem defensivamente.

O que preocupa foi a péssima atuação da zaga. Tanto Pablo quanto Alef falharam demais, em posicionamento, saída de bola, embate com os atacantes e em dar um simples bago pra frente. Foi uma partida bisonha de ambos, bem abaixo do que vinham mostrando até o momento. Que seja apenas uma partida. Domingo já tem o Juventus. Temos que ganhar.

“Tabu”

Desde 2007 não perdemos para o Criciúma na Ressacada, considerando os jogos dos times “A” (o Tigre venceu duas vezes o Avaí B na Copinha SC, uma na Ressacada e outra em Palhoça). A última vez em que eles saíram com os três pontos contra a gente aqui foi num 3×1 no estadual daquele ano, numa noite em que Rudnei (ele mesmo) fez uma boa partida atuando pelos carvoeiros.

Nesse período de seis anos, foram 10 partidas por Catarinense e Série B na Ressacada, com seis vitórias do Avaí e quatro empates. A maior goleada foi um 4×0 no estadual de 2009. Nesse mesmo período, o Leão ganhou duas partidas no Heriberto Hülse, pelos estaduais de 2009 (3×2) e 2012 (2×0).

A sequência de resultados entre os times “A” de Avaí e Criciúma na Ressacada desde 2007 é essa: Avaí 1×0 Criciúma(Série B 2007), Avaí 1×1 Criciúma (Catarinense 2008), Avaí 3×0 Criciúma (Série B 2008), Avaí 4×0 Criciúma (Catarinense 2009), Avaí 2×1 Criciúma (Catarinense 2009), Avaí 1×0 Criciúma (Catarinense 2010), Avaí 2×2 Criciúma (Catarinense 2011), Avaí 3×2 Criciúma (Catarinense 2012), Avaí 1×1 Criciúma (Série B 2012) e Avaí 2×2 Criciúma (Catarinense 2013).

Anúncios

0 Responses to “Dois pra lá, dois pra cá”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seja sócio

Divirta-se com amigos

No Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: