O maior clássico, mas não o único

Diferentemente de muitos manezinhos, não acho que Avaí x Figueirense seja o único clássico catarinense. É o maior, sem dúvida, mas não o único. Maior porque é o que ocorre há mais tempo (89 anos), com mais jogos (o valor exato depende da contagem, mas foram mais de 400) e é o que reúne a maior rivalidade. Mas outros confrontos também, na minha opinião, podem ser considerados clássicos.

Acho que todos os jogos entre Avaí, Criciúma, Figueirense e Joinville são clássicos. São confrontos que já ocorreram centenas de vezes ao longo dos anos, entre clubes considerados grandes no estado e que, por muitas vezes, decidiram títulos ou coisas importantes. Nada mais “clássico” que isso.

Que há apenas uma grande rivalidade em SC, entre Avaí e Figueirense, isso eu concordo. A rivalidade entre times de Florianópolis e do interior costuma ser “unilateral”: o interior odeia Florianópolis, que não dá muita bola pro interior. A “rivalidade” entre Criciúma e Joinville, então, é de fazer cosquinha. Ambos se unem pra torcer contra os times de Florianópolis. Consegues imaginar um avaiano torcendo pro Figueirense contra o Criciúma? Isso não existe.

Mas nem por isso, na minha opinião, um Avaí x Criciúma ou um Figueirense x Joinville perdem o status de clássico. Brasil x Itália é um clássico de seleções, Boca Juniors x Santos é um clássico sul-americano, Real Madri x Juventus é um clássico europeu, mesmo que não haja rivalidade entre eles. Posso citar também Santos x Palmeiras ou Vasco x Botafogo como exemplo de jogos em que não há rivalidade – as torcidas vascaína e botafoguense são, inclusive, “irmãs” -, mas são clássicos, daqueles com muita história.

Pra fechar, fico com o que disse o jornalista Emerson Gasperin, co-autor do livro Almanaque do Futebol Catarinense, ao Diário Catarinense ontem:

Avaí x Figueirense é o maior clássico porque a vida nunca retoma seu curso normal no dia seguinte, com o sucesso de um instaurando uma revolução no outro desde 1924. Porque o perdedor mora ao lado, não a 400 quilômetros de distância. E, principalmente, porque é o jogo que divide uma cidade ao meio e unifica um Estado contra os dois.

Anúncios

1 Response to “O maior clássico, mas não o único”



  1. 1 Um duelo peso-pesado | Solta o Leão! Trackback em 7 de abril de 2013 às 10:00

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seja sócio

Divirta-se com amigos

No Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: