Desequilíbrio

Chamou a atenção na Série B deste ano a alta pontuação dos cinco primeiros colocados. Um clube com pontuação digna de campeão ou vice em anos anteriores ficará em quinto lugar e, portanto, fora da Série A, desafiando todas as previsões matemáticas pré-campeonato.

Ao mesmo tempo em que estava “muito fácil este ano”  (como em todos os anos, né? #ironic) subir pra Série A, a pontuação dos promovidos foi muito acima da média. Basta lembrar que o Avaí subiu com folga de três rodadas em 2008 somando 67 pontos, o mesmo número que São Caetano, quinto colocado, possui hoje. O ano de 2012 é, sem dúvida, um ponto fora da curva quando se analisa o histórico da Série B de pontos corridos.

Não há milagre da multiplicação de pontos. Foram os mesmo 1.140 pontos em disputa (380 jogos, três pontos por jogo) que existiram em campeonatos anteriores. Se os cinco primeiros tiveram em 2012 uma diferença nunca antes observada para os demais, é porque estavam muito acima dos demais e perderam poucos pontos para eles.

Quanto ao Avaí, no fim, vai acabar com uma pontuação que o permitiria brigar pelo acesso até as rodadas finais em campeonatos anteriores. Mas não em 2012. E esse afastamento precoce da luta pelo acesso, com seis rodadas de antecedência (desde a derrota para o Bragantino), explica-se, em parte, pelo baixo aproveitamento do Leão contra os cinco primeiros. Demos uma de Robin Hood às avessas, roubando pontos dos fracos e dando-os aos fortes.

“Ah, mas é normal somar menos pontos contra os mais fortes!” Sim, é. Acontece que a diferença foi muito grande. Tivéssemos ganho três pontinhos contra o Atlético Paranaense, quem sabe quatro contra o São Caetano e, mesmo que tivéssemos perdido dois pro Ipatinga e dois pro Guarani, estaríamos mais perto do G4 (embora, a essa altura, já sem chances também, mas seríamos eliminados somente na rodada passada, e não com seis rodadas de antecedência).

Sobre o aproveitamento do Avaí, dividi os nossos 19 adversários em três faixas: do 1º ao 6º lugar, do 8º ao 13º (lembrando que o Avaí é o 7º)  e do 14º ao 20º . O resultado é esse:

Contra o 1º ao 6º – 18,18% dos pontos

Contra o 8º ao 13º – 58,33%

Contra o 14º ao 2oº – 79,47%

Os números não vão mudar muito faltando duas rodadas, uma contra o lanterna e outra contra o atual vice-líder. O Avaí teve, até o momento, aproveitamento muito bom contra os sete últimos, na casa dos 79%. Contra os times do oitavo ao 13º lugar, um aproveitamento bom, de 58%. Já contra os seis primeiros, a coisa desanda: apenas 18% de aproveitamento (em números absolutos: somente seis pontos em 33 disputados, com duas vitórias e nove derrotas em 11 partidas). Aí, não há jeito mesmo de subir.

Faltou a tal de qualidade para chegarmos mais perto dos cinco primeiros. E olha que não foi por falta de tentativa, já que o número de jogadores contratados em 2012 beirou a 30 (quase três times). Mas em 2013 será diferente, espero.

Anúncios

0 Responses to “Desequilíbrio”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seja sócio

Divirta-se com amigos

No Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: